Meu relato, um pouco sobre quem eu sou

Tenho 30 anos, desde criança eu era tímido, não me socializava e ficava no meu canto brincando com minhas coisas e imaginando o meu mundo, era mimado e protegido por minha mãe e parentes, não saia na rua e ficava em casa. Quando cheguei na escola senti um estranhamento e hostilidade naquele local, não entendia porque eu tinha que ir, não me interessei em fazer as lições e nem em me socializar com ninguém, eu me desconectava do mundo ao redor e só ficava na minha cabeça sonhando acordado para não me envolver com o mundo estranho fora da minha mente. Tenho dificuldades de atenção, concentração e memoria, as vezes enquanto as pessoas falam eu me perco na imaginação. Me desassociar do mundo exterior é como minha mente responde a situações desagradáveis e estressantes. Não me conecto facilmente ao mundo exterior, muitas vezes ele passa batido, estou acostumado à introspecção. Para eu fazer ou acreditar em algo tem que fazer sentido na minha cabeça, não importa se todo mundo faz ou acredita, eu tenho que entender a lógica por trás, caso contrario me soa absurdo. Para mim a escola e sociedade nunca tiveram lógica, por isso não estudei, socializei ou namorei. Sofri bullying, me sentia desprezado e rejeitado, tinha a impressão que ninguém gostava de mim e me achavam louco, tinha medo da escola e sociedade. Hoje eu sei que essa instituição chamada escola abusa e explora estruturalmente os jovens, como eu era jovem não sabia me defender, mas se fosse hoje me recusaria a ir ou brigaria com essa instituição maldita.

Quando finalmente sai daquele inferno não tive vontade de arrumar emprego, estudar e enfrentar o mundo por medo, preferi ficar em casa no pc e videogame onde eu me sentia seguro e confortável. Passou um tempo tentei entrar em algumas faculdades porque sentia ser pressionado a fazer, mas não sei se era mesmo, eu consegui entrar em uma de design gráfico, eu me afastei das pessoas lá, até que eles tentaram ter amizade e ser legal, mas eu já estava acostumado a me isolar. Não apreendi nada lá também, a maioria do que apreendi de design foi sozinho em casa na internet. Depois que sai fui procrastinando exercer a profissão de design, na verdade, eu nem gostei dessa profissão, continuei na mesma, até que aos 25 anos eu pensei que minha mãe fosse morrer, tive uma crise existencial, até pensei em suicídio caso ela morresse, ai procurei emprego, pois decidi sair dessa situação, mas não tinha nada no currículo nem conhecimento profissional de nada e logo desanimei, voltei a ficar na mesma. Depois tentei apreender mais de design para exercer a profissão em casa, mas não adiantou, não gosto mesmo. Nunca tive vida social, profissional, amorosa, sexual e talvez infelizmente nunca terei. Sai algumas vezes de casa, em contato com a sociedade percebo como eu não consigo ser normal, não consigo me integrar a nada, sou o mesmo estranho da adolescência que as pessoas normais odeiam. Não que eu queira ser uma pessoa normal, a normalidade da sociedade é desprezível, mas ao menos gostaria de me sustentar, ser independente e conseguir tudo que as pessoas normais conseguem mesmo eu sendo diferente. Sou tímido, não tenho habilidades sociais e tenho baixa autoestima. Raramente tenho assunto com alguém, meus gostos são estranhos e bizarros demais para ter algo em comum. Não sei me relacionar com as pessoas. Não entendo as pessoas normais e elas não me entendem. Não consigo nem dormir e acordar no horário certo, troco o dia pela noite. Não sei porque sou assim.

Passo a maioria do tempo no meu quarto que não entra sol, a luz aqui em casa é na maioria artificial. Prefiro ficar com luz apagada. Houve uma época que eu tinha ansiedade, sentia meu coração batendo e as vezes disparava sem eu saber o motivo, tinha tremedeira nas mãos as vezes, tive sintomas de TOC e até pensei ter TOC, mas com o tempo essa ansiedade diminuiu, mas as minhas mãos as vezes tremem ainda. Solidão, tédio e melancolia são os sentimentos que mais conheço, refletindo no meu gosto artístico e musical.

3 curtidas