Realmente é possível?

Será que existe mesmo uma maneira de sair desse ciclo infinito? Há de verdade uma pessoa que seja um “ex-hikikomori”? É como um ganhador da loteria, eu só ouço falar, mas nunca vi um na vida pessoalmente. Acredito que, diferentemente da maioria, eu sou um dos poucos que procurou ajuda profissional por vontade própria, eu realmente quero melhorar. Fui diagnosticado com fobia social e já tentei 3 tipos diferentes de medicamentos e nenhum funcionou. O que fazer quando até mesmo a tão querida medicina amada e venerada pela sociedade também te abandona?

3 curtidas

Acho que não. Eu estava tentando contornar meus problemas e sair dessa vida de merda, mas não consegui e estou estagnado no mesmo lugar de antes, ficar anos trancado em casa me deixaram permanentemente quebrado. A propósito, eu sempre fui muito tímido, desde a infância e isso se alongou até a adolescência e continua na vida adulta. A minha situação me parece irreparável. Provavelmente vou me matar quando meus pais morrerem.

3 curtidas

É realmente difícil. Eu não faço ideia de como as pessoas conseguem trabalhar, ter um relacionamento amoroso, ter uma vida social, se relacionar com a família, etc. ao mesmo tempo e durante anos. Parece que tudo é esgotante e traz pouca satisfação. Não sei de onde tiram energia e motivação para manterem essas coisas. As minhas ideações suicidas aumentaram muito após eu começar a sair mais de casa e me relacionar mais com os outros.

3 curtidas

Vocês procuraram algum tipo de ajuda também? Eu tenho a auto estima no buraco, nulo mesmo. A sociedade sempre deixou claro para mim através de palavras e ações que eu não nasci nos padrões desejáveis. Tenho estatura baixa, não tenho boa aparência, não sou engraçado e ainda tivemos o azar de nascer em um país com pessoas extremamente comunicativas.

Fiz algumas sessões de psicoterapia após uma tentativa de suicídio, um pouco antes do período em que comecei a me isolar. Interagir e me abrir para o psicólogo me causava mal-estar, comecei a faltar até abandonar definitivamente.
Não sei se procuraria esse tipo de ajuda novamente. Sinto que é como tratar um aracnofóbico dando uma aranha de estimação para ele. Pode até resolver a longo prazo, mas é um processo extremamente desconfortável.

1 curtida