Relato pessoal de um Hikikomori

Olá, meu nome é Matheus, tenho 20 anos e moro na região metropolitana do Rio de Janeiro. Sou Hikikomori há 5 anos, apesar de só ter me conscientizado a respeito disso nos últimos meses, a partir de uma tremenda crise existencial.

Antes de me isolar completamente houve um período gradual de afastamento social de cerca de 2 anos, devido a uma relação negativa com o ambiente escolar, que enfim me levou à evasão escolar. Durante esse período adquiri uma forte ansiedade social que não foi devidamente acompanhada, o que suponho ter sido um fator decisivo para o isolamento.

Ultimamente venho buscando uma solução para a situação, e espero ter encontrado uma referência nos exemplos do Japão e da Itália, locais onde a situação Hikikomori tem se destacado. Lá vem ocorrendo sobretudo nos últimos anos uma constante conscientização sobre o tema, o que tem levado cada vez mais à formação de redes de apoio.

Se no Japão há pelo menos 1 milhão de Hikikomori e na Itália cerca de 100 mil, então é possível supor que no Brasil hajam até dezenas de milhares, quase todos inconscientes sobre a própria condição e com familiares incapazes de ajudar.

Penso que se geralmente o isolamento social se estabelece gradualmente então também deve ser assim em relação a integração social. E o que seria mais adequado do que se os próprios Hikikomori, positivamente conscientizados, se integrassem juntos? Quem sabe a partir daí uma plena independência pessoal possa se desenvolver. Assim eu espero.

Meu Facebook: https://www.facebook.com/profile.php?id=100022443804375

2 Curtidas