Um pouco sobre mim e o medo da vida moderna

Olá, resolvi criar uma conta e se tornar um membro do fórum, pois já havia acompanhado há um tempo os tópicos daqui e me identificado com os demais a respeito do distúrbio conhecido como Hikikomori. Peço desculpas se meu tópico ficar um pouco confuso quanto à escrita, mas é que já faz um tempo que tenho sido afetado não só na vida real com problemas de conversação, mas também na Internet.

Falando sobre mim, eu tenho 22 anos e tenho sido um Hikikomori há quase 4 anos. Desde pequeno eu sempre fui uma pessoa um tanto reclusa, principalmente por não me dar bem com outras pessoas e ter sido vítima de bullying pela minha timidez e introversão. Com o passar dos anos descobri que possuo fobia/ansiedade social, assim como transtorno obsessivo-compulsivo e déficit de atenção, o que dificultou (e ainda dificulta) minha vida em relação a praticamente tudo. Na adolescência eu até havia conseguido um grupo de amigos na Internet graças à um Xat de blog e um blog sobre jogos que eu mesmo criei, assim como também consegui poucas amizades no ensino médio (que de vez em quando saia com eles), amigos esses que ainda possuo contato de alguns pelo WhatsApp (mesmo que hoje em dia, quase nulo), mas desde que me “formei”, passei a ficar quase que totalmente sozinho e recluso com minha família em casa.

Vivo com minha mãe e meu irmão, ele que por sinal é um N.E.E.T (fora da educação, emprego e formação profissional) também desde a adolescência. Meu pai faleceu quando eu tinha 5 anos, então basicamente minha mãe tem sido pensionista desde então. Minha rotina e válvula de escape sempre foi o entretenimento, principalmente videogames. Meu TOC de higiene se tornou um problema que enfrento até hoje aos 17 anos, talvez por ansiedade da vida adulta ter batido na porta. Desde 2017 tenho ido a psiquiatras, tomado medicamentos e tendo problemas com minha família pela minha reclusão. Nunca trabalhei, tenho medo de coisas que exigem uma responsabilidade e atenção, duas coisas que nunca foram meu forte. Até o final da adolescência não sabia fazer compras sozinho, mas mesmo assim até hoje não consigo ficar em lugares públicos sem tremer ou suar e acabar se sentindo mal por ser atrapalhado e péssimo em conversar.

Por alguns problemas de autoconfiança e autoestima, nunca tive um relacionamento sério que tenha durado, e tão pouco consigo encontrar/ter um hoje na minha atual condição. Já tive pensamentos suicidas por sentir e dar desgosto principalmente pra minha família, que me vê como uma pessoa doente. Apesar de ter tentado sair um pouco mais de casa caminhando com meu irmão e ajudando minha mãe com compras ou passeando em feiras com ela, sinceramente não vejo um futuro onde meus transtornos ou minha vida melhorem. Tive um breve sonho em ser escritor nos anos retrasados, mas descobri que não tenho talento pra ser um criador. Honestamente não sei nem como pagar contas e afins, já que nem sei por onde começar a aprender sobre essas coisas, no que se diz aos meios de viver na vida moderna eu não entendo nada.

Enfim, espero ter conseguido me expressar com a melhor clareza possível. Se possível, gostaria de dicas ou comentários que pudessem me ajudar a tentar melhorar como pessoa, pois apesar do conforto que a vida de Hikikomori pode trazer, ela também traz bastante sofrimento pra pessoa e aqueles que convivem/se importam com ela. Espero que não seja tarde pra tentar recomeçar a vida no geral.

4 curtidas

Tenho 23 e sei como se sente, me identifico na maioria do seu relato, infelizmente não sei como ajudar pois me vejo na mesma situação, mas qualquer coisa estou aqui pra bater um papo :woman_technologist: (・ω・)つ⊂(・ω・)

2 curtidas

Minha mãe é pensionista e também me sinto muito culpado por não poder ajuda-la com as despesas da casa, ela banca tudo. Me sinto um lixo por não ter como me autossustentar, mas ainda assim estou tentando arrumar algum emprego.
Trabalhei durante 4 anos em uma empresa, mas pedi demissão devido a não suportar mais conviver em um ambiente repleto de pessoas, eu estava passando por um momento de depressão extrema. Ja tive crises desse tipo (tremer e suar), principalmente quando estava utilizando o transporte público. Mas me arrependo por ter pedido demissão, pois acabei perdendo os valores que eu viria a receber caso fosse demitido. A ironia é que pouco tempo depois a empresa fechou e a maioria dos funcionários foram dispensados recebendo todos os direitos trabalhistas.
Anteriormente eu morava em uma casa confortável, espaçosa, porém devido ao divórcio dos meus pais acabei vindo morar em uma edicula nos fundos da casa da minha avó, algo bem estranho, porque no terreno existem mais 3 casas.
Talvez você possa optar por cursar algum curso a distância, não necessariamente faculdade. Existem cursos técnicos EAD, inclusive alguns sendo oferecidos gratuitamente, pelo menos em São Paulo.
Com relação ao pagamento de contas, graças a tecnologia podemos simplesmente abrir uma conta no banco e fazer pagamentos pelo internet banking.
Enfim, são diversas possibilidades, também seria interessante você praticar alguma atividade física ou até mesmo arte marcial, pois vai melhorar sua autoestima. Enfim, seria bom você criar novos hábitos, pois ira " treinar" o seu cérebro. Até mesmo aprender a desenhar é uma boa terapia.
Qualquer coisa me manda uma mensagem. Boa sorte!

1 curtida

Eu tenho uma dica que espero que seja útil, quanto a autoestima, se aceite, voçê busca aceitação alheia quando voçê deveria se aceitar primeiro, aceite esses problemas seu como “Voçê/seu jeito” e deixe de lado pelo menos momentaneamente, e quanto a se virar pagar contas e se virar, uma coisa que não muitas pessoas lembram é da própria mãe que muita das vezes faz de tudo, use ela como exemplo, acompanhe ela mais, observe tudo o que ela faz e aprenda com tudo.
Lembrando: conselho é conselho, voçê aceita se quiser.